porto velho - ro, 12 Setembro 2019 06:59:11
    Plantão de Polícia

    PRISÃO: Suspeito de matar rival no banheiro é preso

    Ao avistar os policiais, o criminoso ainda tentou fugir, mas acabou sendo capturado.

    A- A+

    Publicado: 15/07/2019 às 10h01min

    Policiais da Delegacia de Homicídios de Porto Velho cumpriram mandado de prisão preventiva contra o foragido Felliphe Cesar da Silva Rodrigues, 28 anos, acusado de ter participação na morte de Jader Feijó Falcão, ocorrida na madrugada do dia 8 de maio deste ano, no residencial Orgulho do Madeira, na Zona Leste da Capital. A ação faz parte da Operação Conselho Final desencadeada no dia 13 de maio para prender todos os envolvidos no crime.

    Segundo a Polícia, após a operação, as investigações continuaram para capturar Felliphe e na quinta-feira o criminoso foi localizado escondido em um dos apartamentos do residencial Orgulho do Madeira.

    Ao avistar os policiais, o criminoso ainda tentou fugir, mas acabou sendo capturado. Com ele, os investigadores encontraram 23 porções de maconha. Ele já estava foragido do sistema prisional e cumpria pena por receptação.

    Os demais envolvidos no crime, Ramon P. O., o “RM”, Wesley L. T., o “Baé”, Edivaldo V. B., o “Citroen”, e Elton L. S., foram presos durante a Operação Conselho Final. Todos os envolvidos são integrantes da facção criminosa Comando Vermelho.

    A conselheira da facção Aline M. B., conhecida como “Miranda”, também foi presa na ação. Hiasmim C. S., conhecida como “Morena Problemática”, que também é conselheira da facção está foragida.

    A Polícia apurou, que Jader foi morto apenas porque as conselheiras Hiasmim e Aline entenderam que ele pertencia a facção rival Primeiro Comando da Capital (PCC), mas ainda não foi comprovado.

    Durante as investigações, segundo a delegada Leisaloma Carvalho Resem, foi apurado que Hiasmim e Aline teriam identificado a vítima e passaram a informação para Elton, que de dentro do presídio Urso Branco emitiu a ordem para o assassinato. “Elas então articularam tudo, armas, local, ligaram para um dos infratores e pediram que no momento da execução ficasse na linha para que elas ouvissem os tiros. A vítima tomava banho no momento do crime”, disse a delegada.

    CONFIRA A REPORTAGEM NA INTEGRA:



    Escreva um comentário