Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO
Polícia

Polícia realiza Operação na Prefeitura de Ouro Preto

O ex-prefeito Alex Testoni e algumas outras pessoas conhecidas na cidade foram conduzidas pela Polícia

Por Da Redação
A- A+

Publicado: 15/12/2017 às 08h22min | Atualizado 15/12/2017 às 18h01min

Foto: Correio Central

Desde a primeira hora da manhã desta sexta-feira (15), a Polícia está realizando a Operação “Erga Omnes” em Ouro Preto do Oeste. As primeiras informações dão conta de que os Agentes da Lei cumprem mandados de buscas, apreensões e prisões na Prefeitura Municipal, em algumas secretarias e na empresa de materiais para construção, Dom Bosco.

A Polícia também esteve na casa do ex-prefeito Alex Testoni e o conduziu coercitivamente, além de ter feito a apreensão de documentos em sua residência. Também foram conduzidos o ex-chefe de gabinete de Alex Testoni, Maizaniel Pereira e também o ex-assessor Rodrigo Mota, mais conhecido como “Rodrigo Guerreiro”. Continuar lendo

A operação conta com um efetivo de sete delegados e mais de 50 policiais. Será concedida uma Coletiva de Imprensa ainda hoje para esclarecer mais detalhes sobre a operação.

Coletiva: 

De acordo com o delegado o combate a corrupção é uma das prioridades da Polícia Civil. A vários meses a investigação tinha se iniciado e contou com apoio dos delegados da PC de Ouro Preto do Oeste e também do Ministério Público.

O contexto da investigação é um possível desvio de verbas públicas por meio de eventos que foram realizados há três anos. As verbas provindas de emendas parlamentares foram desviadas pela sociedade civil e prefeitura da gestão passada. Um desses eventos é o réveillon da luz que obteve emenda de cerca de 300 mil. São vários inquéritos e o valor da verba pode ser maior.

De acordo com o delegado o objetivo principal da operação foi alcançado, mas  os nomes e as devidas providências que serão tomadas permanecerão em sigilo para garantir melhor eficácia na investigação. A investigação aborda fraude em licitação, organização criminosa, peculato, corrupção ativa e passiva e outros delitos.

Em Porto Velho houve duas conduções coercitivas.  Funcionários do Palácio Rio Madeira e da Assembléia Legislativa tiveram que prestar depoimentos.  Pelo menos nove pessoas estão envolvidas na investigação e outros municípios de Rondônia podem ser alvo das investigações.

Fotos:


Escreva um comentário