Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO

Marcelo Freire

opinião

Publicado: 15/02/2017 às 07h00min | Atualizado 20/02/2017 às 19h47min

A- A+

A liberação do FGTS e seu efeito na economia

De acordo com dados oficiais, há 18,6 milhões de contas inativas há mais de um ano, com saldo total de R$ 41 bilhões.

Os recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços (FGTS) que serão liberados a partir do próximo mês representam um importante incremento na economia do Brasil e permitirá às pessoas que estão desempregadas equilibrarem as contas. Para alguns, a liberação do dinheiro será uma boa oportunidade para quem está desempregado montar o próprio negócio.

De acordo com dados oficiais, há 18,6 milhões de contas inativas há mais de um ano, com saldo total de R$ 41 bilhões. O governo estima que os saques das contas inativas do FGTS vão injetar R$ 35 bilhões na economia. Outros otimistas estimam que valor próximo de 100% das contas inativas será sacado pelos trabalhadores, e boa parte desse dinheiro reforçará o consumo das famílias nos próximos meses, o que deve gerar um impacto positivo no crescimento da economia de até 0,40%.

O Governo Federal tem este ano um longo caminho a ser percorrido e pouco tempo para mudar o destino da economia. A liberação do dinheiro da conta inativa do FGTS é importante para a economia, mas o desafio maior do governo Michel Temer (PMDB) será aumentar com urgência o número de postos de trabalho e retomar o crescimento da indústria, caso contrário, da forma como a gestão caminha se torna arriscado o seu partido pensar em um nome para sucessão do peemedebista no comando do Palácio do Planalto.

Ocorre que 86% das contas inativas do FGTS, segundo balanço apresentado na reunião de ontem em Brasília, têm saldo inferior a R$ 880 – salário mínimo de 2016. Isso significa que as pessoas desempregadas vão continuar sem o emprego e sem dinheiro no mês seguinte após o saque do valor que está disponível na conta da Caixa.

Em tempo de crise na economia com o crescimento do desemprego, o  mais importante nesse momento é buscar com urgência alternativas econômicas que possam mudar de forma efetiva a vida de quem está sem emprego. São poucas as pessoas que terão direito a um benefício maior para receber no próximo mês e o governo vai aproveitar para investir na publicidade como forma de reduzir o desgaste com a operação Lava Jato.

Sem dúvida, os marqueteiros do Palácio do Planalto vão investir pesado nas mídias e transmitir à população que o governo está preocupado com as causas sociais. A qualquer momento, ministros do governo Temer podem se tornar réus na operação Lava Jato. A população jamais poderá esquecer dos desvios de milhões de recursos públicos no esquema de pagamento de propinas nos governos do PT e PMDB.

 


Escreva um comentário

Arquivos de opiniões