#EuCurto RedetvRO
Política

Jornalismo em luto: Morre jornalista Maurício Calixto

O comunicador, que apresentava o Programa A Hora do Povo, na Rádio Rondônia, estava em tratamento de um câncer

Por Site RONDONOTICÍAS
A- A+

Publicado: 16/04/2018 às 14h17min

O jornalista foi vítima de um câncer.

O jornalista, advogado, ex-deputado estadual e ex-deputado federal Maurício Calixto da Cruz faleceu na manhã desta segunda-feira, 16, em Porto Velho. O comunicador, que apresentava o Programa A Hora do Povo, na Rádio Rondônia, estava em tratamento de um câncer, e não resistiu. Maurício Calixto da Cruz nasceu em Arcos (MG) no dia 23 de abril de 1949, filho de Mário Calixto da Cruz e de Margarida do Carmo Cruz.

Formado em direito pela Faculdade de Mogi das Cruzes (SP) em 1978, transferiu-se para Rondônia e aí foi eleito deputado estadual no pleito de novembro de 1986, na legenda do Partido da Frente Liberal (PFL). No início do ano seguinte tomou posse na Assembleia Legislativa, mas licenciou-se para assumir a Secretaria Estadual de Administração no governo de Jerônimo Santana (1987-1991), onde permaneceu até o final de 1988. Continuar lendo

Nas eleições de outubro de 1990 candidatou-se a uma vaga na Câmara dos Deputados, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Eleito, assumiu o mandato em fevereiro do ano seguinte, participando dos trabalhos legislativos como titular da Comissão de Minas e Energia e suplente da Comissão de Finanças e Tributação.

Afastando-se do PTB e permanecendo sem partido, na sessão da Câmara dos Deputados de 29 de setembro de 1992 foi um dos 38 parlamentares que votaram contra a abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, embora o tenha feito em segunda chamada, quando o processo já estava decidido. Acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial, Paulo César Farias, Collor afastou-se da presidência logo após a votação da Câmara e renunciou em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, razão pela qual foi efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde o dia 2 de outubro.

Já no governo Itamar Franco, Maurício Calixto votou contra a criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte suplementar de recursos destinados à saúde.

No pleito de outubro de 1994 disputou uma vaga no Senado na legenda do PFL, mas não foi eleito. Deixou a Câmara ao término do mandato, em janeiro de 1995. Retornou à Secretaria de Admistração do Estado de Rondônia, no governo de Valdir Raupp (1995-1999), mantendo-se no cargo até junho de 1995, quando assumiu a diretoria geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Foi também corregedor da Câmara de Vereadores de Porto Velho e proprietário do jornal O Estadão do Norte e da Rádio Eldorado, de Porto Velho.

Casado com Cíntia Maria Sedlacek Calixto, teve três filhos.


Escreva um comentário