Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO
Ji-Paraná

Frota de táxi de Ji-Paraná começa receber taxímetros

O taxímetro chega para oportunidade ao passageiro uma cobrança mais justa, conforme for a tabela divulgada pela AMT

Por J. Nogueira Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 08/06/2017 às 08h13min

O uso do taxímetro é obrigatório em municípios com mais de 50 mil habitantes.

A frota de táxi que soma 122 veículos no município de Ji-Paraná começou receber esta semana, os aparelhos de taxímetro através determinação judicial. Os equipamentos foram adquiridos junto á empresa Lig-Táxi de Porto Velho que também ficou com a responsabilidade da instalação. Segundo o presidente da Associação de Táxi do Terminal Rodoviário de Ji-Paraná (Astaji) José Luiz, até o final deste mês, todos os aparelhos deverão estar funcionando.

Ontem, por telefone, o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito (AMT) e ex-vereador, Paulo Moura informou que chegada do taxímetro se deve ao fato de uma Lei Federal que obriga toda cidade a partir de 50 mil, contar com o aparelho, para melhor prestar o serviço aos seus usuários. “O taxímetro trará mais segurança e confiabilidade no transporte de passageiro”, afirmou. Ele concluiu dizendo que a AMT cabe apenas a autorização para a instalação dos aparelhos, a inspeção e a fiscalização quando já estiver em operacionalidade.

Já o presidente da Associação de Taxistas do Terminal Rodoviário de Ji-Paraná (Astaji), José Luiz também concordo que com o uso do taxímetro os valores cobrados junto aos usuários, serão bem mais justos e confiáveis, e consequentemente, a diminuição da diminuição das reclamações por parte dos passageiros. “Até o final desse mês, topos os táxis já estarão com os aparelhos colocados” garantiu.

Taxi-lotação Continuar lendo

Sobre o sistema de transporte feito através do taxi-lotação, José Luiz disse que não haverá qualquer interferência nesse serviço. Segundo ele, o taxímetro chega para oportunidade ao passageiro uma cobrança mais justa, conforme for a tabela divulgada pela Autarquia Municipal de Trânsito (AMT), tendo ele citado o exemplo de uma corrida entre o terminal rodoviário e o aeroporto da cidade. “O usuário poderá optar em negociar um valor com o taxista ou exigir que seja usado o taxímetro”, concluiu. O responsável pela instalação e representante da empresa Lig-Táxi, Caetano Rodrigues disse que a demora na instalação do aparelho pode passar de uma hora e meia.


Escreva um comentário