Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO

Falta de asfalto na elevação da BR-319 causa transtornos

Buracos e poeira prejudicam a trafegabilidade e a visibilidade do trecho elevado da BR-319.

A- A+

Publicado: 31/05/2019 às 15h53min | Atualizado 31/05/2019 às 15h55min

Se preferir, ouça a versão em áudio
0:00/ 0:00

Após a finalização da obra de elevação do trecho da BR-319, logo depois da ponte sentido Humaitá (AM), em decorrência da cheia do rio Madeira que cobriu parte da BR, no início de março, o que preocupa a população no momento, principalmente das pessoas que residem na Vila do Dnit, é o perigo de acidente no trecho elevado por causa dos buracos e o aumento da poeira, formada pelo pó de brita que foi jogado no local, o que afeta a visibilidade do tráfego neste perímetro.

Karollayne Marri, moradora da Vila Dnit há 5 anos, contou que esse pequeno trecho, que não foi asfaltado, levanta bastante poeira e prejudica muito a passagem no local. “A poeira aqui tá muito forte e tem vários buracos. Aqui passam muitos caminhões e a poeira sobe rápido e atinge a Vila. Antes nós íamos até a ponte, no período da noite, fazer caminhada, mas isso é impossível de fazer hoje”, disse.

A equipe do jornal Diário da Amazônia foi até o local e se deparou com um caminhão bitrem atravessando o trecho em alta velocidade. Logo em seguida, uma grande nuvem de poeira se formou prejudicando a visibilidade e colocando em risco a vida de outros condutores que atravessavam a elevação.

Segundo a comerciante da Vila do Dnit, Patrícia Ferreira, com a subida da poeira no local, ela já presenciou vários acidentes. “O pessoal vem muito rápido, e no que desce, as pedras, por mais que estejam compactadas, também existem os buracos que se formaram. Quando uma motocicleta passa muito rápido, ela se desequilibra e cai, como já aconteceu várias vezes. Todos os dias nós passamos por esse trecho, e temos que fechar o vidro do carro porque é muita poeira, e esse percurso já era para estar concluído porque as chuvas já pararam. O tráfego aqui é muito intenso porque também é a passagem para o Amazonas”, relatou.

De acordo com Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit-RO), a elevação do trecho afetado foi feito com rochas e com britas graduadas simples (BGS) com outros tipos de pedras misturado.

Em março, o Dnit-RO informou que o asfaltamento começaria após o nível do rio Madeira baixar, mas até o momento nada foi iniciado. O Diário entrou em contato novamente com o Dnit e informaram que os recursos obtidos na época foram apenas para executar a elevação. Para fazer a capa asfáltica será necessário a efetivação de uma nova licitação. O Dnit está agilizando o processo para buscar recursos e efetivar o asfaltamento no local.

OBRA
A obra de elevação foi concluída ainda no mês de março. A construção da elevação foi feita para conter a água que invadiu parte da BR-319 em decorrência da cheia do rio Madeira e normalizar a trafegabilidade no local. As duas vias foram aterradas. A altura da água no local ficou em torno de 15 a 25 centímetros com uma extensão de aproximadamente 50 metros. A obra foi feita em um trecho de 200 metros.

Você já assinou o nosso canal no YouTube? Clique e inscreva-se agora!


Escreva um comentário