Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO

Paulo César

opinião

Publicado: 19/06/2017 às 10h38min

A- A+

Em busca de uma ordem

Estamos aqui meditando em busca dessa bendita ordem que venha a nos dizer, na formulação de sua lei, o que poderá garantir a excelência

Em um artigo que escrevi recentemente, destaquei que a qualidade do atendimento ao cliente é sempre uma resultante, sempre um reflexo, sem a autonomia que muitos inadvertidamente consideram. O erro mais comum decorrente dessa visão é atribuir ao treinamento o poder de resolver o problema de um atendimento ruim. Talvez uma das constatações mais frustrantes que temos de reconhecer é a de que, por mais que treinemos nossos quadros, ainda não conseguimos garantir a excelência de nossos serviços.

Lembro-me de um livro muito interessante do educador Rubem Alves, Filosofia da Ciência. É o defeito que faz a gente pensar, observa o autor, afirmando que o que não é problemático não é pensado. “A gente pensa porque as coisas não vão bem – alguma coisa incomoda. Quando tudo vai bem, a gente não pensa, mas simplesmente goza e usufrui…”

Quando alguma coisa nos incomoda, como, por exemplo, o atendimento ruim que insiste em nos desafiar, começamos a questionar e essa reflexão nos leva a procurar uma ordem, uma ordem que nos ofereça um padrão de causa e consequência, em que toda a vez que encontrarmos o fenômeno, ou a situação, podemos investigar a partir de uma ordem que presumimos estar presidindo aquele episódio.

Estamos aqui meditando em busca dessa bendita ordem que venha a nos dizer, na formulação de sua lei, o que poderá garantir a almejada excelência em serviços.

A solução, já constatamos, não será fácil. Se fosse, não estaríamos aqui tratando desse assunto. E tantos outros profissionais que também, incomodados pelo “defeito”, tentam com honestidade apresentar suas hipóteses para descobrir o caminho.

Não há dúvida que a tecnologia e as técnicas vão ajudar nesse processo, porém a solução parece dar indícios de estar muito mais na complexidade da condição humana e seu contexto.  Como bem asseveraram Kevin e Jackie Freiberg, “a tragédia de nossa época é que invertemos os valores: aprendemos a amar as técnicas e a usar as pessoas”.

Quem sabe esteja aí uma pista. Quem sabe uma luz na obscuridade em que reside essa tal ordem.


Escreva um comentário

sobre Paulo César Silva

consultor de empresas na área de gestão de serviços e excelência na satisfação do cliente, além de professor da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing). Atuou por mais de 20 anos nas áreas de vendas e marketing e funções gerenciais em empresas como Xerox do Brasil, Kodak, Pantanal Linhas Aéreas, entre outras.