Porto Velho/RO, 30 Novembro 2019 09:47:06
    Cidades

    Delegacia do consumidor alerta para golpes em consórcios

    A delegada orienta os consumidores que desconfiem quando a empresa prometer ou vender algo, e não deixar o cliente ler o contrato.

    A- A+

    Publicado: 10/06/2019 às 16h57min

    A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Deccon) de Porto Velho, alerta a população para mais um tipo de golpe que está sendo aplicado na cidade, referente à aquisição de consórcios contemplados. De acordo com a delegada, Noelle Caroline Xavier, mais de 100 vítimas já procuraram a delegacia para denunciar o crime de estelionato praticado por três empresas.

    Durante uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (7) a delegada deu detalhes de como as empresas estão agindo na Capital prometendo bens que nunca são entregues. “Existem pessoas que perderam valores consideráveis dando entrada no consórcio no valor de R$ 30 mil, R$ 40 mil e até R$ 50 mil. As vítimas acreditaram na oferta porque queriam conquistar sua casa própria, um carro e outros bens, mas infelizmente acabaram caindo no golpe”, disse a delegada.

    A delegada orienta os consumidores que desconfiem quando a empresa prometer ou vender algo, e não deixar o cliente ler o contrato. “Segunda dica, desconfiar quando a empresa orientar você a mentir ao passar informações pelo telefone que não condiz com aquele produto ou serviço que ela está comercializando. Orientamos também, que o consumidor desconfie quando a instalação da empresa for muito bonita e em um local privilegiado porque isso é para impressionar os clientes. Nós orientamos que o consumidor utilize a internet para pesquisar sobre a idoneidade daquela empresa que vai contratar o serviço”, orientou Noelle Caroline Xavier.

    Os consumidores, segundo a delegada, precisam ter consciência que valores e taxas desproporcionais ao do mercado, certamente não possuem condições de entrar o produto nem o serviço. “Não invistam e tenham cuidado nessas negociações principalmente em valor alto. Os consumidores precisam ter um pouco mais de cautela para negociações dessa natureza”, disse.

    Em um consórcio normal, não existe a garantia de que o cliente vai ser beneficiado no primeiro ou no segundo sorteio, mas essas empresas aplicadoras de golpe garantiam para os clientes que eles iriam ser contemplados logo no início, e isso não acontecia. “As vítimas ainda estão pagando o consórcio que fizeram. Elas assinaram o contrato, mas não consta aquilo que o vendedor transmite, que ele será beneficiado logo no primeiro mês. Ler o contrato antes de assinar é muito importante para evitar golpes”, enfatizou Noelle Caroline Xavier.
    Agora, a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Deccon) instalou um inquérito policial para apurar o crime de estelionato aplicado pelas três empresas identificadas até o momento.

    Confira a reportagem:

     



    Deixe o seu comentário