Rede TV! Rondônia Nas mídias socias agora é só curtir seguir e assitir!
#EuCurto RedetvRO
Polícia

MP denuncia prefeito e ex-secretários de Vilhena

De acordo com o MP, a organização criminosa causou prejuízo aos cofres da Prefeitura de Vilhena

Por ASCOM/MP
A- A+

Publicado: 02/12/2016 às 09h06min | Atualizado 02/12/2016 às 18h22min

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Centro de Atividades Judiciais (CAEJ), do Centro de Atividades Extrajudiciais (CAEX) e do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), ofereceu denúncia, nesta quinta-feira, 1º de dezembro, decorrente das investigações realizadas em conjunto com a Polícia Federal por ocasião da Operação Áugias, deflagrada em novembro deste ano.

Foram denunciados o Prefeito de Vilhena José Luiz Rover, além dos ex-secretários municipais José Luiz Serafim (Comunicação), Gustavo Valmórbida (Governo) e Severino Miguel de Barros Júnior (Fazenda) pela prática dos crimes de peculato e organização criminosa.

Apurou-se que o grupo criminoso era capitaneado por José Luiz Rover que, em conjunto com Gustavo Valmórbida, ordenava que José Luiz Serafim providenciasse falsos processos de reconhecimento de dívidas, primeiramente, em favor da empresa correios de notícias, ante a necessidade de quitar dívidas de campanha eleitoral com o proprietário da referida empresa, Afonso Locks (falecido), e depois, em favor da empresa V.A. Pasa, em função de outras dívidas pessoais que possuía com a imprensa de Vilhena. para tanto, contaram com a ajuda de Severino Miguel de Barros Júnior, que na condição de Secretário Municipal de Fazenda, garantia os recursos no orçamento da Prefeitura para a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom).

Conforme apurado, a organização criminosa causou prejuízo aos cofres da Prefeitura de Vilhena, apenas neste processo, em torno R$ 720 mil, resultante do pagamento de dívidas pessoais do Prefeito, embora os valores de toda a atividade criminosa ultrapassem a casa dos R$ 4 milhões. A organização criminosa praticou outros crimes que estão sendo investigados em diversos procedimentos, tanto pelo Ministério Público quanto pela Polícia Federal em Vilhena.


Escreva um comentário